Study shows hoteliers have reasons to feel confident

4 01 2011

Leading Sustainable Tourism2

Occupancy rates at four and five star hotels in the Algarve have increased, according to a study by ILM Advisory, a company specialising in the sustainable development of tourism and hotel sectors in Portugal.

The data, collected from 26 four and five star hotels, showed that hotels increased both their occupancy rates and revenue per available room (RevPar).

MAIN CONCLUSIONS – 4 STARS

_In the period between Jan-Sept of 2010 the surveyed hotels had an occupancy rate slightly higher than in the previous year (58,08% vs 55,93%), although it is important to state that the data from 2010 doesn’t include the performance of the last quarter of the year.
_The Average Room Rate (ARR) registered an increase of 5,14€ in the comparative of Jan-Sept 2010 vs year 2009 (66,97€ vs 61,83€), however, and once again, the 2010 data doesn’t consider the last three months of the year.
_In the accumulated period of Jan-Sept 2010 the respondents registered an average RevPar higher than in 2009, by 6,06€. The significant growth of the RevPar in the Summer of 2010 in comparison to the accumulated Jan-Sept 2010 (32,14€) was mainly justified by a positive increase in the occupancy rate.
_The three main markets of the respondents are: Portuguese (29,9% – 38,5%), English (15,6% – 24,6%) and German (13,4% – 22,2%). While the Portuguese and English markets are more concentrated in the Centre and Eastern Algarve, the German appear more widely spread throughout the Algarve. The traditional outbound markets to the Algarve registered a decrease in demand in the comparison of 2009 vs 2010 – English (-3,3p.p), German and Irish (-1,3p.p. each). On the other hand the demand of tourists from Spain and Benelux increased (by 4 p.p. and 1p.p., respectively) justified, in part, by geographical proximity (Spain) as well as by the promotion efforts of ATA in the diversification of markets (Benelux).
_Tour Operators achieved a significant weighting in the operation of 4 star hotels, being responsible by 37% of demand. This distribution channel, as well as MI/ Corporate Groups, lost representation in the comparison of 2009 vs 2010. In the hotels where Tour Operators are responsible for at least 50% of the reservations, the Online Platforms appear as the second most relevant distribution channel with a weighting varying between 11 – 20%, showing the low performance of the direct sales of these units, which had repercussions on their sales.
_In terms of Revenue Mix the accommodation department is the main revenue centre, followed by the Food & Beverage department, representing, respectively, 58% to 68% and 25% to 34% of hotels’ revenues. The accommodation department assumes a higher representation in the hotels belonging to chains when compared with independent units.
_With regard to the operational costs it was possible to observe that the human resource costs suffered a sharp drop in the comparison of 2009 vs Jan-Sep 2010, falling from 31,6% to 26,9% of the total revenues generated. On average, per year, the human resourcing costs are equal to 5.200€ per room.
_The marketing costs vary between 50.000€ and 280.000€ per room. This big gap is justified by the existence of independent hotels and others belonging to chains.
_The energy costs registered a decrease of 0,6p.p. in Jan-Sept 2010 vs 2009. The daily cost, by occupied room, was of 6,6€.
_With regard to the Gross Operating Profit (GOP) in 2009, 40% of the respondents assumed a weighting between 31% and 40% of the total revenue. In the period of Jan-Sept 2010 the GOP was on average 10p.p. higher than in 2009, although it is important to mention that the 2010 data does not include the results of the 4º Quarter which normally registers operational losses.
_According to the forecasts of the hoteliers, the 4 star hotels in the Algarve will end 2010 with an occupancy rate of 55% and an ARR of 64€.
_For 2011, the hoteliers predict stabilization for both of these areas.
_Finally, with regard to the threats for their business, the hoteliers consider that the decrease in prices due to the increase of competition, as well as the accessibilities and the fragile economic context (European and National) will be the main constraints.

MAIN CONCLUSIONS – 5 STARS

_In the period of Jan-Sept 2010 the occupancy rate was 2,39p.p higher than in the year of 2009 (44,99% vs 42,59%), however, it is important to state that the values of 2010 don’t include the 4th quarter.
_For the same period a decrease in the ARR of 6,31€ was felt (157,28€ vs 150,98€) due to the opening of new hotels as well as by the decrease in prices registered in five of the eleven operations surveyed.
_The RevPar registered an increase of 3,22€ when comparing the accumulated of 2009 vs 2010, however the last quarter of 2010 was not considered.
_The three main markets are: Portuguese (22,9% – 31,9%), English (28,5% – 37,2%) and German (9,2% – 17,1%). The German market is habitually associated with the hotels having the higher ARR, with prices starting at 200€/night.
The national market was responsible by cushioning the reduction in demand felt in 5-star hotels. Portuguese tourists represented one third of the total demand, showing its’ supremacy in this destination.
_Regarding the distribution channels, in the comparison of 2009 vs Jan-Sept 2010, the dependence on Tour Operators was lower. The growing tendency of Last Minute reservations explains the increase in direct demand (FIT/Walk-In) by 5p.p.. An increase in demand via Corporate/ MI Groups and Online Platforms was also felt in 2010, compared with 2009.
In terms of Revenue Mix the accommodation department is the main revenue centre of 5 star hotels, followed by the Food & Beverage department. The significant reduction in the representation of golf in the Revenue Mix during the summer of 2010, was justified by the increase in demand of Sun & Beach tourists.
_Concerning the operational costs a decrease of 3p.p. was noted in the human resource cost centre, when comparing 2009 vs Jan-Sept 2010. In 2010 this cost centre assumed a weighting of 41% of the total revenues generated.
_The marketing costs assume, on average, about 6% of the total revenues, representing an investment of 1.280€/month per room occupied.
_The energy costs represented 5% of total revenue, with an average cost of 25€ per room occupied.
_On average, the maintenance costs per occupied room in the 5-star hotels are approximately 28,5€. This high value can be defended due to the measures required to maintain the quality of the product and service.
_For half of those surveyed, the GOP represented in 2009 between 21% and 30% of revenue. Comparing the performance of 2009 with Jan-Sept 2010 it appears that for 40% of the hoteliers their GOP increased, while for other 40% it decreased. It is important to remember that the last quarter of 2010 is not included, which is when losses are normally registered.
_The 5-star hoteliers expect to conclude the 2010 year with an occupancy rate of 53% and an ARR of 170€.
_In 2011 the hoteliers predict maintenance of the ARR and a slight decrease in the occupancy rates.
_Finally, with regard to the threats for their business, the hoteliers consider that accessibilities and the fragile European and National economic context will be their main concerns for 2011.

Anúncios




Ano turístico 2009 com balanço negativo

4 03 2010

A análise da ILM Advisory aos principais indicadores de performance do sector permite concluir que o ano de 2009 foi um ano complicado para o mercado turístico nacional, com fortes impactes ao nível da aviação e da hotelaria, destacando-se no entanto a boa performance verificada ao nível da rubrica dos cruzeiros, ao nível do número de visitantes nos museus nacionais, assim como na venda dos tradicionais pastéis de Belém.

O balanço do ano turístico vivenciado em Portugal apresentado cobriu importantes rubricas do sector, tais como – número de passageiros nos aeroportos e portos nacionais, dormidas efectuadas em estabelecimentos hoteleiros, número de visitantes em atracções turísticas nacionais, entre outras.

A conjuntura de crise económica teve grandes consequências no sector turístico nacional mas foi igualmente sentida na maioria dos destinos turísticos internacionais, com repercussões não só em distintas actividades económicas bem como nos hábitos de lazer dos turistas.

Leia o resto deste artigo »





Hotelaria do 5* do Algarve Resiste à Crise

18 11 2009

Gonçalo Garcia

Quebra de preços inferior a 8 Euros nos meses de Verão

De acordo com uma análise desenvolvida pela ILM Advisory, os hotéis de 5 estrelas do Algarve estão a superar à crise económica internacional, tendo registado uma quebra média de apenas 7,38 euros no preço médio por quarto vendido (PMQV) no último Verão entre Junho e Agosto, face a período homólogo de 2008.

Os dados recolhidos pela ILM Advisory junto de 10 dos 17 hotéis de 5 Estrelas do Algarve tiveram especial enfoque nos meses de Verão – Junho, Julho e Agosto – incidindo sobre indicadores de performance como o preço médio por quarto vendido, a taxa de ocupação e o revpar (lucro por quarto disponível).

De acordo com a análise referida o nível médio da taxa de ocupação entre Janeiro e Agosto de 2009 foi de 45,52 %, inferior em 13,32% face a 2008, sendo que nos meses do verão esta diferença se situou nos 5,24%. Por sua vez o REVPAR médio foi inferior em 15% quando comparado com o período homologo de 2008. Apesar da variação observada os hotéis geridos ou franchisados por marcas internacionais a operar em Portugal registaram no mesmo período um REVPAR superior aos hotéis nacionais em 67 %, equivalente a uma diferença média de 78,39 euros por quarto.

Todos os hoteleiros entrevistados mencionaram que o mercado interno foi aquele que contribuiu de forma decisiva para a perfor­mance dos meses de Verão, compensando a substancial queda da procura oriunda dos mercados internacionais tradi­cionais. O mercado inglês, apesar de manter uma forte importância para o turismo algarvio, foi o principal responsável pelas quebras registadas.

Entre os directores de hotéis do Algarve entrevistados foi possível definir como estimativa para a facturação de 2009 uma descida entre 10 e 15% face ao acumulado de 2008. Em termos de ocupação, os entrevistados prevêem que o resultado acumulado de 2009 seja semelhante ao de 2008.

A previsão generalizada dos hoteleiros entrevistados é de que o período entre Setembro e Dezembro de 2009 será extremamente complicado, na medida em que confirmações de grupos de conferências e incentivos encontra-se substancialmente abaixo do observado no ano transacto, sendo este segmento um dos principais contri­buintes para as ocupações de 5 estrelas no Algarve no período em foco. Verifica-se na generalidade dos casos a existência de um sentimento de confiança face a 2010, com previsões de melhoria quer nas taxas de ocupação, quer ao nível do preço médio por quarto vendido praticado.

(Download) Algarve 5* Hotel Research Note





Turismo Nacional em quebra contínua

17 11 2009


De acordo com a análise desenvolvida mensalmente pela ILM Advisory, especialista em assessoria a entidades públicas e privadas ligadas ao mercado turístico, o turismo nacional atravessa um ciclo de quebra contínua desde o início do ano.

A análise de desempenho turístico elaborada pela ILM no início do mês de Junho para o I-ON-TOURISM, conclui que “em todas as rubricas analisadas no último trimestre, apenas a venda dos Pastéis de Belém regista uma subida significativa na procura. O aumento registado nas vendas deste produto atingiu as 3.255 unidades em Março de 2009, face a igual período do ano anterior”. No seu conjunto foram analisados o tráfego aéreo nos principais aeroportos, movimento de cruzeiros nos portos de Lisboa e da Madeira, índices hoteleiros, número de voltas nos campos de golfe situados na região de Lisboa e número de visitantes em museus e palácios, registando-se na maioria das variáveis um claro decréscimo de actividade.

A análise do tráfego aéreo nos quatro principais aeroportos nacionais (Porto, Lisboa, Faro e Funchal) conclui que no mês de Março de 2009 se registou uma descida de 369.730 passageiros. Neste domínio salienta-se o aumento da dependência dos principais aeroportos nacionais face a turistas oriundos da União Europeia, com percentagens entre 75% e 95%.

Em relação ao movimento dos cruzeiros o estudo citado revela um decréscimo no número de embarcações em Março último, face a período homólogo do ano anterior. Na hotelaria a descida verificada em idêntico período, no número total de dormidas registadas a nível nacional, atinge os 22,3 %. Os hotéis de cinco estrelas registaram a maior quebra (-24,7%) e o pior desempenho (38,8%). Curiosamente o golfe registou em Março de 2009 um aumento de 11,8% nas receitas por volta, apesar da diminuição de voltas em 15.704. A visita de museus e palácios registou também um aumento de 8% no total de visitantes em Março de 2009, face a Março de 2008, sendo o Palácio de Sintra o mais visitado em ambos os meses.

De acordo com Andrew Coutts, CEO da ILM Advisory, “esta situação de quebra contínua no desempenho turístico nacional, espelha a preferência dos turistas por destinos mais perto dos seus locais de origem. Com a recuperação da economia, espera-se que esta dependência venha a alterar-se, assistindo-se a um incremento no número das viagens de longo curso”.

Para realizar o estudo descrito a ILM recorreu a dados fornecidos pela ANA Aeroportos e Aeroportos da Madeira, Associação de Turismo de Lisboa, Instituto dos Museus e da Conservação, Turismo de Portugal, IGESPAR, Administração do Porto de Lisboa, Administração dos Portos da Região Autónoma da Madeira, Fortaleza de Sagres – Ministério da Cultura, Pastéis de Belém, Castelo de São Jorge – EGEAC, Convento de Cristo e Parques de Sintra, entidades a quem agradece a informação disponibilizada.





Março.Menos turistas.Mais pastel

17 11 2009

No mês de Março do corrente ano, a situação turística nacional do país apresentou valores negativos em comparação com igual período de 2008.

No mês em análise assistiu-se a uma quebra generalizada no número de turistas entrados em território nacional, quer via aérea, quer via marítima, tendo-se igualmente verificado uma diminuição de dormidas na hotelaria, assim como no número de visitantes nas distintas atracções turísticas analisadas.

AEROPORTOS

Aos 4 principais aeroportos nacionais – Lisboa, Faro, Funchal e Porto – chegaram menos 369. 730 passageiros do que em igual período de 2009, sendo que o aeroporto de Lisboa foi aquele que, em termos absolutos, registou a maior quebra – menos 195.626 passageiros. Verifica-se igualmente que os turistas continuam a optar por locais de destino mais perto dos seus locais de origem, algo evidenciado pela forte dependência dos aeroportos observados face a turistas europeus. O aeroporto de Lisboa foi o que apresentou o menor grau de dependência, sendo que esta foi igual a 75%. Espera-se que com a retoma económica esta situação se inverta, e que deste modo se assista a um aumento no número de viagens de longo curso a médio longo prazo.

A representatividade das companhias low cost é um factor igualmente interessante de se analisar no que concerne à entrada de turistas em território nacional. No período em causa estas companhias assumiram um peso superior do que em igual período de 2008, nos aeroportos analisados, porém o número de voos efectuados pelas mesmas diminuiu – cerca de menos 250 voos.

CRUZEIROS

Os turistas que viajam em cruzeiros são também um importante indicador turístico, sendo que aqueles que embarcam e/ou desembarcam nos portos nacionais assumem uma maior importância para a economia nacional. No mês em observação assistiu-se a uma diminuição no número total de passageiros que passaram nos portos de Lisboa e do Funchal, menos 11.951 passageiros, sendo que 84% destas quebras tiveram lugar no porto do Funchal.

HOTELARIA
A hotelaria a nível nacional registou também performances negativas em todas as rubricas analisadas – proveitos, taxa de ocupação/quarto e número de dormidas. Ao nível das dormidas, os residentes foram os responsáveis pela maior quebra registada (22.9%), no entanto esta descida não foi muito diferente da verificada pelos estrangeiros (22%). A redução na taxa de ocupação nacional cifrou-se nos 11%, sendo que na cidade de Lisboa esta foi igual a 20.7%, o que se traduziu numa forte quebra na ocupação da capital. As regiões do Algarve e do Centro, a par com a de Lisboa, foram as mais afectadas durante o mês em análise.
LAZER
No que diz respeito a todas as rubricas incluídas no ponto referente ao lazer – golfe, museus e palácios, Castelo de São Jorge, Fortaleza de Sagres, Convento de Cristo, Mosteiro dos Jerónimos, Torre de Belém e Pastéis de Belém – constatamos que somente esta última não registou quebras no comparativo dos dois meses em causa. Ao nível das atracções turísticas as diminuições são justificadas pelo facto de no ano de 2008 a Páscoa ter tido lugar no mês de Março, enquanto que em 2009 esta festividade ocorreu no mês de Abril.

Destaque ainda para a modalidade do golfe e a Fortaleza de Sagres, que apesar de terem registado um menor número de jogadores e visitantes, respectivamente, assinalaram aumentos ao nível das receitas geradas por pessoa em cada uma das suas lojas dedicadas à venda de green-fees (golfe), informação sobre o monumento (Fortaleza de Sagres) e merchandise no geral.

A informação anteriormente exposta permite assim concluir que o mês de Março não foi de todo um mês positivo para o sector turístico nacional, no entanto espera-se que tal situação se venha a ajustar com o avançar do tempo e com o surgimento dos primeiros indícios da recuperação económica mundial.